segunda-feira, outubro 10, 2011

Notas de Denúncia (Parte II)

Por uma questão de coerência, de acordo com os critérios editoriais deste blogue, e tal como assumido, aqui ficam, para já, as 3 tunas que inicialmente tinham aceite, e depois recusaram; ou simplesmente recusaram à partida participar no Festival de Tunas da Tuna Feminina da Univ. Portucalense do Porto (evocativo do seu 20º aniversário):

Tuna Feminina do ISEP
Levadas da Broca (FMD U. Porto)
Tesuna (ESTS Porto)

As razões avançadas para a recusa de participação prende-se com a pressão dos respectivos Magnos (em consequência do derimido pelo Dux e MCV do Porto) que "aconselharam" à sua não participação.
É esta a solidariedade e verticalidade de quem se diz tuno/tunante.
Lamentável, a todos os títulos que haja quem se venda dessa maneira e quem demonstre tão pouca idoneidade e seriedade.


Nota: As informações foram colhidas durante o VIII ENT em Bragança, junto dos elementos da Tuna Feminina da Portuclense e confirmadas, igualmente, por uma fonte local (estudante ligado à Praxe na FEUP).

Nota2: Foi alterado o texto, de modo a, de acordo com os factos, referir que houve quem logo recusasse o convite e quem o fizesse depois de já o ter aceite.
Não fica, contudo, claro que a recusa seja provadamente por outros factores que não so aludidos. Mediante o actual panorama, mesmo incorrendo na possibilidade de imprecisões, qualquer recusa, neste contexto, que não directa, ou indirectamente ligada a pressões praxísticas, deve deixar isso claro (nomeadamente através de uma declaração clara e inequívoca de solidariedade, onde se faça menção da não obediência a instituições de praxe nestas matérias). Nenhuma das tunas supra-citadas, até agora, pro exemplo, subscreveu o manifesto tunante, o que é significativo.

28 comentários:

Sir Giga disse...

É exactamente isto que tem de ser feito. Desmascarar quem alinhou com os devaneios do MCV e porventura achava que sairia incólume de se ter deitado e rebolado em semelhante m****.

WB disse...

Traíção é o que se chama. E ainda chamam àquilo Tunas?

Anónimo disse...

É assim mesmo!
O único orgão de informação sobre tunas que tem a coragem de deixar preto no branco como as coisas são e cumprir com a promessa de denunciar as tunas que tomassem a vergonhosa atitude de se submeterem a lógicas obscuras contra outras tunas suas irmãs.
Parabéns ao Notas E Melodias!

Manifestvm Tvnae disse...

http://manifestvm-tvnae.blogspot.com/

Anónimo disse...

O próximo festival que a tuna da portucalense é dia 15, pela org. da ae lusófona.

Tunas a concurso:
TAUFP - Tuna Académica da Universidade Fernando Pessoa
TAUP - Tuna Académica da Universidade Portucalense
TS Porto – Tuna Tecnologia da Saúde do Porto
TAB - Tuna Académica de Biomédicas – ICBAS UP

Espero que estejam lá todas.


Serão as tunas a chave para o fim do MCV?

Tesuna disse...

Bom dia,

Perante os últimos acontecimentos, vimos por este meio demonstrar a nossa solidariedade para com a situação da Tuna Feminina da Universidade Portucalense do Porto, complicada e injusta, visto ser uma realidade que é passível de acontecer com qualquer outra Tuna. No entanto, como devem compreender há pressões externas que, infelizmente, obrigam as Tunas académicas a tomar certas decisões que nem sempre vão de encontro às suas vontades. Neste caso concreto, a nossa recusa deve-se a questões à parte do que foi dito anteriormente e essa justificação, que já foi dada à Tuna Feminina da Universidade Portucalense do Porto, não deve ser questionada. A TeSuna é da opinião que neste tipo de situação a solução passa pelo diálogo, pela união e não pelo contrário. Estamos disponíveis para recepções e juntamente com outras tunas encontrar soluções para esta problemática.

Com os melhores cumprimentos,

a TeSuna

Tesuna disse...

Gostariamos ainda de acrescentar que, contrariamente ao que foi afirmado neste blog, a TeSuna nunca aceitou o convite e recusou-o posteriormente. O convite nunca foi aceite, como referido anteriormente, por motivos alheios a esta questão e esse facto foi apresentado à Tuna Feminina da Portucalense.
Agradeciamos que, de futuro, antes de fazerem afirmações como esta se certificassem da sua veracidade.

Com os melhores cumprimentos
a TeSuna

Anónimo disse...

Apenas para deixar claro:

Creio que a declaração oficial da TeSuna não menciona um ponto importante relativamente ao texto deste post: a TeSuna não aceitou e depois recusou o convite; isso pode ter acontecido com uma outra tuna referida no texto, mas connosco isso não aconteceu: declinamos o convite, como foi dito, devido a outras instâncias, devidamente justificadas à Tuna Feminina da Universidade Portucalense.

Anónimo disse...

"Quem não quer ser Lobo não lhe veste a pele".

Se não foi por este motivo, digam então porque razão recusaram. É a ÚNICA forma de saírem airosamente desta questão, até porque caso tal não ocorra ficará sempre no ar a suspeita.

Anónimo disse...

Uma tuna nunca deve ceder a pressões externas... já dizia o outro "Falam, falam, falam, falam e não os vejo a fazer nada!"

Anónimo disse...

Somente para dizer ao anónimo de cima que nem foi este o 1º local a deixar os nomes nem sequer é o único.

WB disse...

O texto do artigo foi ligeiramente alterado para ir ao encontro dos dados acima fornecidos pela Tesuna. Contudo, fica, de facto por provar a recusa. Podem alegar nada ter a ver com pressões da Praxe, mas é a vossa atitude contra a vossa palavra. Neste caso, para não deixar dúvidas, então subscrevam oficialmente o manfesto tunante e/ou declarem publicamente não obedecerem a organismos de praxe em questões tunantes.

Não podemos aferir das razões ou desculpas apresentadas, apenas da recusa, pelo que, neste clima fundado de supeição, maior a necessidade de demarcar posições e deixar bem explícito de que lado da barricada as Tunas do Porto se colocam.

Se fose Tuna minha e não pudesse, de facto aceitar, não deixaria de publicamente explica ro facto manifestando posição contra qualquer ingerência de organismos de Praxe, sob pena de legitimamente as pessoas ajuizarem contra a minha Tuna.
Não gostaria de ver injustamente a minha Tuna associada a traições e a baixas atitudes inter-tunantes, daí que tudo faria para deixar bem clara essa posição - CASO A MINHA TUNA NÃO CONCORDASSE COM A INGERÊNCIA DA PRAXE, NEM A ELA ESTIVESSE SUBMETIDA.
Quem o não faz conssente!

Anónimo disse...

Bem estou a ver que há pessoas que ainda não perceberam a gravidade da situação.
Em algumas faculdades as praxes com mais influencia fazem chantagens e são vingativas, e sei que por vezes conseguem boicotar o trabalho das Tunas da própria casa. E se acontece a algumas das maiores Tunas o que acontecerá às mais pequenas...
O que é preciso é não permitir que a praxe tome estas atitudes cobardes e injustas! Não têm o direito de fazer esta chantagem!

Virem mas é as acusações para eles porra!

Que as direcções das faculdades façam chantagem com eles também! "Ou se portam bem ou acabou-se a praxe na faculdade" Já esteve mais longe...

Anónimo disse...

O que eu queria dizer com o "Falam, falam..." era precisamente o facto da intervenção oficial da tuna (será?) em questão ser todo um exercicio de escrita sem contéudo.

Eduardo disse...

Meus caros:

em meu entender, as tunas não têm de ser «chave» para nada.

Simplesmente devem exigir ser deixadas em paz - e deixar os outros em paz nos seus rapanços em circuito fechado, nas suas reuniões que começam pela ingestão de grandes quantidades de álcool, seguido do visionamento de um filme pornográfico e de onde nada de positivo tem saído desde 1980 - pelo menos.

Se a reboque dos nossos argumentos outras pessoas começarem a ver algumas realidades que eles não desejam que sejam conhecidas... se por verem essas realidades as pessoas começarem a pôr em causa certas "verdades" reveladas no fundo de um garrafão... se isso levar a que toda a podridão seja extirpada... então foram os academistas, não as tunas, que fizeram o que já há muito devia ter sido feito.

Entendo eu que temos de ser A FAVOR de nós, não CONTRA os outros.

Porque, no fundo, a maioria de nós é a favor da Praxe, compreende a noção de hierarquia e de respeito pelas inerências da antiguidade - e sabe separar a Praxe sadia, positiva e integradora das fantasias avinhadas de uma súcia de incompetentes.

Contudo, o respeito não se decreta: merece-se. E a esmagadora maioria daqueles senhores não merece o nosso respeito ACADÉMICO - o humano é inquestionável. O discurso "Respeita-me porque tenho 63126,9 matrículas" tem de acabar definitivamente.

Recomendava alguma prudência no discurso, apesar de estarmos todos com os ânimos exaltados. A vontade é, de facto, partir a louça toda.

Mas, se não quisermos que interfiram na nossa vida, não devemos, enquanto colectividade, interferir na dos outros - ou perdemos a moralidade.

As tunas só têm de ser a chave para a independência das tunas - penso eu.

Oxalá as pessoas saibam ler o «manifestum tunae», mesmo que o não subscrevam. Há lá matéria para reflexão - de parte a parte.

Abraço!

Anónimo disse...

Isto parece-me uma infantilidade de todo o tamanho. Afinal quem é que está a virar as tunas umas contra as outras?

WB disse...

"Isto parece-me uma infantilidade de todo o tamanho. Afinal quem é que está a virar as tunas umas contra as outras?"

Espero, caro anónimo, que não esteja a indiciar que a culpa dos factos são imputáveis a quem noticia e opina sobre factos.
Não me diga que, numa situação dessas, o que se deve fazer é assobiar pró lado e fazer de conta que não se passa nada.
Não me diga que a culpa da guerra do Iraque é culpa da NBC ou da RTP, ou que a derrota do PS é culpa do Marcelo Rebelo de Sousa, ou a derrota de Portugal por causa dos programas sobre desporto.

Se há tunas umas contra as outras, foi porque algumas assim se predispuseram, em consciência.
Gente de bem, indónea e séria não sacode a água do capote, mas antes pede coerência e o assumir frontal dos actos perpetrados.
Obviamente que os actos têm consequências, começando desde logo pela reacção da opinião pública.

Estamos a falar de grupos com actividade pública (figuras públicas), pelo que sujeios ao escrutíneo opinativo.
Ou o único direito que temos é o de pagar bilhete e bater palmas?

Em todo o caso, se não foi essa a intencionalidade do seu post, queira esquecer tudo quanto aqui disse.

As Minhas Aventuras na Tunolândia disse...

"Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito." - Einstein.


Queira-se ou não, há medo. E é nesse medo, instigado, acarinhado, regado com uns berros dos "Senhores da Praxe" que assenta muita coisa, não sejamos ingénuos.

No entanto, esse medo - que não deve existir porque estamos aqui, todos, a malta das tunas, para o que der e vier, como já está mais do que claro! - não pode servir de justificação para trair, para saltar fora, para alinhar com esta "paródia", excepto numa de duas circunstâncias: Ou se está claramente a favor do dito pelos "Senhores da Praxe" - e não se trata aqui de medo mas antes de convicção e acordo com os mesmos na matéria de facto - ou então esse medo é tão puramente justificável a ponto de levar uma Tuna a alinhar nisto.

No 1º caso, basta que quem alinhe por convicção se ASSUMA. No 2º o caso é bem mais grave porque PROVA que o medo é o bastão que gere a Praxe, hoje.

Não tenham medo. A sério que não. Tenham medo antes e sim de..ter medo; porque quem tem medo a ponto de fazer aquilo em que NÃO ACREDITA então não vive de forma digna. Anda para aí, aos tombos, a fazer o que outros querem. Uma triste existência que, afinal, de VIDA nada tem. Totalmente sem sentido. Desprovida de carácter, amor próprio e convicção. Para isso mais vale de facto ser-se eternamente praxado.

Julgava tal não ser possivel em pleno Século XXI. É triste que haja quem vá contra o que é natural, óbvio, o correcto, a sua convicção, apenas porque alguém "MANDOU" e sem mais delongas. Não há nada pior que uma cobardia excepto uma cobardia imposta por terceiros. Quem caí nisso não merece ser, sequer, estudante universitário. Sequer.

Abraços, na convicção de que tudo tem remédio e todos/todas vão a tempo de voltar atrás. A não ser que NÃO queiram fazê-lo por convicção - outros "500".

RT

MM disse...

Eu fico parvo com a estúpidez de tanta coisa que se diz, tanto neste texto como nos comentários. Desde quando se podem considerar "independentes" das decisões do órgão máximo da praxe sendo as Tunas um grupo académico praxista?... Acordem para a vida! Alarmante sinal dos tempos é um grupo académico estar cheio de anti-praxes, as tunas estão conotadas com praxe, quer gostem ou não, se não querem arcar com as consequências do mesmo, criem um grupo musical qualquer, larguem o traje que gostam tanto de exibir e façam o que quiserem, agora não manchem o nome da praxe só porque são meia-dúzia de ressabiados que pensam que podem fazer dos grupos académicos o que bem vos apetece.

M_ disse...

Caro/a MM,
Não sei quem aqui é ressabiado, nem sei se estás informado/a o suficiente para dizeres o que dizes. Informa-te.

Anónimo disse...

MM:

Você é ignorante sobre a matéria. Nada sabe sobre a história da Tuna. Nada. O que você diz, sim, é que é uma autêntica aberração. Cale-se e aprenda com sabe.

Ricardo disse...

MM,
Compreendo o facto de se sentir parvo... o que não era necessário era usar essas palas ao lado dos olhos!
Não tenho paciência para lhe explicar a diferença entre praxe e Tuna. É estudante? Então informe-se.
Vou dar-lhe um exemplo só para que reflita: Eu já não sou estudante há 13 anos, mas sou Tuno há 19 anos. Ainda recentemente estive em palco no XXV FITU usando capa e batina.
Agora diga-me do alto da sua sapiência, que devo eu à praxe?

Anónimo disse...

Quer-me parecer que o Festival da Feminina da Portucalense se vai realizar sem tunas do Porto...

Ao que parece, as tunas femininas convidadas sofreram todas do "síndroma de falta de elementos".

Deve ser coincidência.

A lista das doentes, pelo que me chegou aos ouvidos, não pára de engrossar, devendo até incluir Tunas Femininas de Universidades do Porto.

Belo exemplo estão as tunas (?) daquela que já foi invicta a dar. Tudo ajoelha perante esses ídolos de trazer por casa com pés de barro.

Mas quem ajoelha...

Anónimo disse...

Nesta nota de denúncia não deveria constar também a Tuna Académica do ISEP?

Pelo que foi escrito no Portugal Tunas retiraram o convite à Tuna da Portucalense.

E será interessante também ver afinal quais serão as tunas que verdadeiramente se solidarizarão com as da Portucalense.

É que pelo andar da carruagem parece-me que a montanha vai parir um ratinho dos muito pequeninos...

WB disse...

Neste post não, mas num especialmente dedicado a isso (parte III), apenas se esperando o aproximar do FITISEP, a ver se alguma coisa muda ou não.

Anónimo disse...

http://www.viva-porto.pt/images/stories/conteudos/noticias/fitisep.jpg

Parece difícil alguma coisa mudar depois de sair o cartaz definitivo.

Anónimo disse...

Estas são as tunas que vão participar no 1º Festival de Trupes Musicais organizado pela recém fundada trupe Musical do ISEP.

AFonsina - Tuna de Engenharia da Universiade do Minho
Estudantina Académica de Castelo branco
Real Tunel Académico de Viseu
Tuna Académica da Universidade Lusiada do Porto
Tuna de Medicina do Porto

Não há como dar a volta à questão se estas tunas participarem nesta farsa, concordam com o desconvite a uma tuna por imposição do MCV, e logo estão disponiveis para serem adestradas pelo Magnum e pelo Dux das suas casas.

O Desatento

João Figueiredo disse...

Se essas tunas vão e sabem do que está a acontecer não são melhores que quem as convida.
Eu tinha vergonha!

João Figueiredo